O respeito e a humildade no contexto do debate teológico

Ortodoxia Humilde

Por Joshua Harris

 

A palavra ortodoxia se refere ao pensamento correto sobre Deus. Diz respeito à crença e ao ensino baseados nas verdades da fé, verdades consolidadas, comprovadas e tidas em alta conta. São aquelas verdades que não mudam. Elas são o prumo que nos mostra como pensar com retidão em um mundo tortuoso. São ensinadas claramente na Escritura e afirmadas nos credos históricos da fé cristã:

  • Há um só Deus que criou todas as coisas.
  • Deus é triúno: Pai, Filho e Espírito Santo.
  • A Bíblia é a palavra inerrante de Deus para a humanidade.
  • Jesus é o eterno Filho de Deus, nascido de uma virgem.
  • Jesus morreu como substituto, pelos pecadores, para que fossem perdoados.
  • Jesus ressuscitou dos mortos.
  • Jesus retornará um dia para julgar o mundo.
  • Crenças ortodoxas têm sido reconhecidas por seguidores genuínos de Jesus desde o início e transmitidas através dos séculos. Se você eliminar uma delas, acabará com algo inferior à crença cristã histórica.

No entanto, um dos problemas com a palavra ortodoxia é que ela geralmente é trazida à tona quando alguém está sendo repreendido. Assim, ela adquiriu uma má reputação, como um irmão mais velho que sempre se esconde na tentativa de flagrá-lo fazendo algo errado. Creio que toda geração de cristãos enfrenta a tentação de se opor à ortodoxia só por esse motivo. Mesmo quando sabemos que algo é verdadeiro e correto, não gostamos de que outros nos digam que devemos crer nisso. Se nosso orgulho já não fosse influência suficiente, o desejo de abandonar a ortodoxia se intensifica quando seus defensores são antipáticos e mesquinhos.

Não conheço outra maneira de dizer isso: parece que muitas pessoas que se importam com ortodoxia são tolas. Mas por quê? Será que a sã doutrina leva necessariamente uma pessoa a ser contestadora, chata e arrogante?

Meu amigo Eric diz que, hoje em dia, os cristãos precisam de ortodoxia humilde. Gosto dessa expressão. Os cristãos precisam ter um compromisso firme com a sã doutrina. Precisamos ser corajosos em nossa posição em favor da verdade bíblica. Mas também precisamos demonstrar graça em nossas palavras e em nossas interações com as pessoas. Não importa se nosso conhecimento teológico é grande ou pequeno, todos nós precisamos fazer uma pergunta essencial: o que faremos com o conhecimento de Deus que temos? Ele nos levará a um desejo sempre crescente de conhecer e amar o Senhor? Afetará nosso modo de pensar e viver na prática? Teremos a coragem de nos ater à verdade mesmo quando ela não é popular? E como expressaremos nossas crenças? Com humildade ou com orgulho? Não quero ser como as pessoas que escreveram cartas raivosas ao meu amigo de Seattle. Ao mesmo tempo, aqui está no que eu creio: a verdade é importante… assim como nossa atitude. É isso que quero dizer com ortodoxia humilde: devemos nos importar profundamente com a verdade e também devemos defender e compartilhar essa verdade de forma compassiva e humilde. Não quero ser como algumas pessoas que conheço, bem intencionadas, mas despreocupadas com as verdades cristãs, quase desinteressadas. Nunca fazem os outros se sentirem desconfortáveis por causa de suas crenças, mas isso se deve ao fato de elas mesmas não crerem em praticamente nada. Será que temos de escolher entre ser gentil e ter zelo pela verdade? Será que adotar e defender crenças mais profundas exige que deixemos a humildade de lado? Isso nos leva a uma pergunta maior: Essas coisas importam para Deus? A Palavra de Deus defende a prioridade tanto da humildade quanto da ortodoxia? Ou isso é só uma questão de personalidade — algumas pessoas são legais, enquanto outras se importam com doutrina?

Deus deu ao seu povo, por meio de sua Palavra, a mensagem redentora do evangelho, e devemos estar dispostos a lutar por sua integridade e transmissão fiel. Temos que “lutar pela fé entregue aos santos de uma vez por todas” ( Jd 3). Em outras palavras, devemos nos importar com a ortodoxia e com o pensamento correto sobre quem Deus é e como ele salva por meio de Jesus Cristo. A ortodoxia é importante. Entretanto, ao mesmo tempo, a Palavra de Deus nos ordena: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”(Mt 22.39). Jesus nos disse para amar até mesmo nossos inimigos (Mt 5.44). E 1Pedro 5.5 diz: “Tende todos uma disposição humilde uns para com os outros, porque Deus se opõe aos arrogantes, mas dá graça aos humildes”. Em outras palavras, amor genuíno e humildade de coração diante de Deus e das pessoas é essencial. Humildade é importante.

Bibliografia

HARRIS, Joshua. Ortodoxia humilde: defendendo as verdades bíblicas sem ferir as pessoas / Joshua Harris; tradução de Caio Peres. São Paulo: Vida Nova, 2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *